Google+ Followers

terça-feira, 4 de julho de 2017

ATIVIDADE PARA ALUNO COM AUTISMO


A partir do  Manual de Saúde Mental – DSM-5, que é um guia de classificação diagnóstica, o Autismo e todos os distúrbios, incluindo o transtorno autista, transtorno desintegrativo da infância, transtorno generalizado do desenvolvimento não-especificado e Síndrome de Asperger, fundiram-se em um único diagnóstico chamado Transtornos do Espectro Autista – TEA.

Algumas pessoas com TEA podem ter dificuldades de aprendizagem em diversos estágios da vida, desde estudar na escola, até aprender atividades da vida diária, como, por exemplo, tomar banho ou preparar a própria refeição. Algumas poderão levar uma vida relativamente “normal”, enquanto outras poderão precisar de apoio especializado ao longo de toda a vida.

As pessoas com Transtornos do Espectro Autista podem se destacar em habilidades visuais, música, arte e matemática

  • A maioria das pessoas com autismo é boa em aprender visualmente;
  • Algumas pessoas com autismo são muito atentas aos detalhes e à exatidão;
  • Geralmente possuem capacidade de memória muito acima da média;
  • É provável que as informações, rotinas ou processos uma vez aprendidos, sejam retidos;
  • Algumas pessoas conseguem concentrar-se na sua área de interesse especifico durante muito tempo e podem optar por estudar ou trabalhar em áreas afins;
  • A paixão pela rotina pode ser fator favorável na execução de um trabalho;
  • Indivíduos com autismo são funcionários leais e de confiança;
A imagem acima trata do trabalho realizado com um aluno nesta condição, o cavalete com a tela fica a disposição na sala para o aluno, com os pinceis e tinta, utiliza quando se sente "desequilibrado" devido ocorrências ou imprevistos  na  rotina da sala.


domingo, 18 de junho de 2017

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E MATERIAL DE APOIO


O letramento pode ser definido como um conjunto de práticas sociais que usam a escrita enquanto sistema simbólico em contextos específicos e com objetivos específicos.


Nas atividades de leitura e escrita se observa forte motivação quando o aluno se envolve espontaneamente. Nestas ocasiões eles demonstram prazer e entusiasmo pela tarefa

Uma bem-sucedida intervenção em leitura e escrita começa sempre por uma boa avaliação do nível de evolução em que se encontram os alunos. Numa sala de aula, o nível de evolução da linguagem escrita dos alunos é sempre muito variado. 


Quando se trata de alunos com deficiência intelectual o professor precisa de muitos instrumentos para avaliar a evolução dos alunos e utilizar diferentes tipos de atividades. Neste caso usamos o material  de apoio,  a prancha com alfabeto para a consulta, do qual está sempre disponível ao aluno.


quinta-feira, 8 de junho de 2017

ATIVIDADE PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL


A prática da auto-estima produz um sentimento de satisfação, de completitude e de prazer interior.


Por isso,  a necessidade de trabalhar a auto-estima de nossos alunos, bem como a importância das relações interpessoais e o resgate de valores.


A atividade selecionada procura elevar a confiança e a capacidade do educando com deficiência, para pensar e enfrentar os desafios da vida, de perceberem dois aspectos inter-relacionados dentro da auto-estima: a eficiência pessoal e o valor pessoal (auto-respeito).


A professora aplicou a atividade para aluna dentro de suas limitações,  do qual realizou com êxito. O objetivo foi adaptado a especificidade da educanda,  tendo como modelo os amigos. Oralmente a professora trabalhou os conceitos do qual a aluna efetivou sua participação e acesso ao currículo.



domingo, 4 de junho de 2017

segunda-feira, 29 de maio de 2017

ATIVIDADE PARA ALUNOS COM MOBILIDADE REDUZIDA


A educação inclusiva traz a concepção de direitos igualitários, com oportunidade e valorização dos desiguais para que assim estejam incluídos no sistema de ensino regular, aprendendo e participando com as mesma possibilidades.


Adaptações simples podem eliminar barreiras e tornar efetivo o processo inclusivo e com a participação de fato. Muitas dificuldades sofridas pelos educandos  podem ser amenizadas ou eliminadas.


A professora dessa turma utilizou além do trabalho colaborativo dos amigos,  um recurso à aprendizagem e à participação, um puxador fixados as páginas do livro, para garantir a participação e aprendizagem.


  
Durante as atividades, cada educando é atendido em suas especificidades conforme seu nível de compreensão e processo de ensino aprendizagem. A proposta é diversificação individualizada, para assim termos a educação para todos.


domingo, 21 de maio de 2017

BARREIRAS ATITUDINAIS


Ao longo do trabalho junto as pessoas com deficiências percebe-se a responsabilidade de formar profissionais que atuem frente às mudanças que acontecem com velocidade. O profissional precisa ser flexível e apto para assumir novos papéis, pois atuarão numa sociedade imediatista com necessidades inclusivas do qual enfrentam barreiras.


Das barreiras que os profissionais se deparam são as barreiras atitudinais, que demandam de muita disposição, pois tem como pano de fundo a subjetividade, do qual os valores próprios muitas vezes são antagônicos ao discurso inclusivo dificultando este trabalho. 
As contribuições que nossa pesquisa traz atenção a nova identidade do professor, salientamos a importância da formação e do repensar da atividade docente. Decorrente de transformações nas concepções e nas formas de construir o saber e tornar a escola inclusiva, longe do paradoxo excludente.
Neste sentido o nosso título de hoje: BARREIRAS ATITUDINAIS, para serem eliminadas depende do profissional inclusivo que seja capaz de transpor a subjetividade e os valores de seus alunos para a ação didática inclusiva? 
Necessário então a atenção a nova identidade do professor, para a formação e prática docente.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

REATCH FEIRA INTERNACIONAL DE TECNOLOGIAS

Organizada e promovida pela Cipa Fiera Milano, a Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade é considerada a principal feira do setor na América Latina. A cada edição, reúne cerca de 300 expositores dos segmentos de agências de emprego voltadas para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, instituições financeiras, fabricantes de cadeiras de rodas, departamentos de recursos humanos, indústrias farmacêuticas, indústrias dos segmentos de animais treinados, veículos adaptados para deficientes físicos (carros, ônibus, vans), fabricantes de aparelhos auditivos, equipamentos especiais, materiais hospitalares, higiene pessoal, próteses e órteses, terapias alternativas, turismo e lazer.
Em 2017, a feira acontecerá entre os dias 1º e 4 de junho (1º e 2, das 13h às 20h, e 3 e 4, das 10h às 19h), e virá totalmente repaginada. A 15ª edição de Reatech será em um dos novos pavilhões do São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, a fim de atender plenamente as necessidades de seus expositores e visitantes. Serão 4 dias de evento recheados de atividades culturais e sociais, como: equoterapia, teste drive de carros adaptados, quadras poliesportivas, seminários, workshops e oficinas com profissionais renomados.

Postagem em destaque

Psicoterapia no centro de Poá/SP

Fazer terapia é uma ferramenta que nos permite melhorar nossa qualidade de vida! Psicoterapia no centro de Poá/SP Contato: (11) 3426-5250...