Google+ Followers

quinta-feira, 26 de junho de 2014

JARDIM DE GIRASSOL - Parte I - Relato de Prática



O relato Jardim de Girassol e para exemplificar Atividade Independente e ou Ocasional. A professora apresentou para a turma, alunos de um 5º Ano os Símbolos da Páscoa, uma turma questionadora e após discussões e reflexões sobre o tema  indagaram o Símbolo -  Girassol, O Girassol é uma flor de cor amarela, formada por muitas pétalas e de tamanho grande e tem esse nome porque e voltada para o Sol.  E assim  tem por significado na Páscoa a busca da luz que é Cristo Jesus e assim como o Girassol segue o sol,   o Astro Rei, os Cristãos buscam a Cristo o Caminho,  a verdade e a vida. O Girassol é uma flor de cor amarela, formada por muitas pétalas e de tamanho grande e tem esse nome porque e voltada para o Sol.  Como a nossa sala as janela dão para Jardim da Unidade que tem apenas uma árvore os alunos sugeriram que plantássemos para conferirmos se o Girassol segue mesmo o Sol. Como não podemos descartar o caráter investigativos dos alunos  sendo que este propósito é  um dos objetivos da escola, como também formar cidadãos com Inteligência Naturalista.
Gardner afirmou se refere à habilidade humana de reconhecer objetos na natureza.


A professora aceitou o desafio e elaborou uma sequência de Atividades Independentes divididas em  Etapas distribuídas na Rotina de Trabalho Pedagógico Ocasionalmente após ser vencida cada Etapa, sendo:


Maio/2014 - 1ª Etapa - Pedido de autorização a Gestão Escolar para modificar o Jardim, seguido da solicitação de terra orgânica. 

Maio/204  - 2ª Etapa -  Resposta positiva da Gestão  e Pesquisar com os alunos na Informática o modelos de Jardins;

Junho/2014 - 3ª Etapa - Chegada da terra orgânica  e Pesquisa sobre o Girassol - Ficha Técnica para elaborar placa de identificação do Jardim;

Junho/2014 - 4ª Etapa - Arrecadar garrafas Pets que irão compor  os canteiros do Jardim;

Junho/2014  - 5ª Etapa - Decorar as garrafas Pets e formar os canteiros;















Julho/2024 -  6ª Etapa  - Registro da Pesquisa - Ficha Técnica e semear as sementes;

Julho/204 à Setembro/2014 - Acompanhar o desenvolvimento da planta;
  

MODALIDADES ORGANIZATIVAS NO TRABALHO PEDAGÓGICO

Atividade permanente
Devem ser realizadas regularmente (todo dia, uma vez por semana ou a cada 15 dias). Normalmente, não estão ligadas a um projeto e, por isso, têm certa autonomia. As atividades servem para Introduzir, Aprofundar ou Consolidar determinados conteúdos e ou construir hábitos. Por exemplo: a leitura diária em voz alta faz com que os estudantes aprendam mais sobre a linguagem e desenvolvam comportamentos leitores. São atividades que  serão recorrente - ao longo do semestre ou mesmo do ano todo.

Sequência didática
Já a sequência didática é um conjunto de propostas com ordem crescente de dificuldade. Cada passo permite que o próximo seja realizado. Os objetivos são focar conteúdos mais específicos, com começo, meio e fim (por exemplo, a regularidade ortográfica). Em sua organização, é preciso prever esse tempo e como distribuir as sequências em meio às atividades permanentes e aos projetos. É comum confundir essa modalidade com o que é feito no dia a dia. A questão é: há continuidade? Se a resposta for não, você está usando uma coleção de atividades com a cara de sequência.

Projeto didático
Por fim, temos o projeto didático, modalidade que muitas vezes se confunde com os projetos institucionais (que envolvem a escola toda). Suas principais características são a existência de um produto final e objetivos mais abrangentes. Os erros mais comuns em sua execução são certo descaso pelo processo de aprendizagem, com um excessivo cuidado em relação à chamada culminância.
 
Atividades Independentes ou ocasionais
São aquelas que não foram planejadas a priori, mas que fazem sentido num dado momento, num Direito de Aprendizagem e ou para contemplar um plano de ação.

ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO ESCOLAR E ALUNOS DE INCLUSÃO


A organização do espaço escolar e principalmente a sala de aula e um facilitador PARA TODOS OS ALUNOS, principalmente para aos alunos inclusos. Para melhorar  e proporcionar  uma aula dialogada, fazendo que o aluno incluso se aproxime mais do professor e dos outros e alunos entre alunos, na visualização do adulto e dos colegas,  para maior dependência para realizar as atividades.  É necessário que esse espaço seja intencionalmente  organizado. Como por exemplo as carteiras em forma de U, meio círculo, bancadas de 6 ou 8 lugares,  duplas etc... são alguns exemplos.





A disposição dos móveis e objetos nas salas de aula também dá continuidade a construção do pensamento.O professor pode também utilizar outros ambientes como facilitador não só para os alunos inclusos, para os demais. O espaço de convívio escolar é fundamental, adequando-o às atividades específicas sendo acolhedor e desafiador. Pense no aluno que usa a cadeira de rodas, muleta, com dificuldades de mobilidade, cegos, pense em você! Além da disposição das carteiras a criança necessita de um espaço povoado de objetos que lhe proporcione a imaginação, criação, construção, interação, expressão de emoções, elaboração de conceitos e brincadeira.

terça-feira, 24 de junho de 2014

SUGESTÃO DE ATIVIDADES PARA DEFICIÊNCIA INTELECTUAL



ATIVIDADE



1.Exploração da linguagem oral em situações comunicativas (Conversas proporcionadas, dialogo, ETC.);
2.Exploração da linguagem escrita (Próprio nome, nome dos familiares, cartões para comunicação ex. desenho e palavra para indicar o uso do banheiro, etc.);
3.Ouvir atentamente (momento de leitura de histórias, nas conversas, instrução de brincadeiras, musica etc.);
4.Falar dentro do contexto (durante os momentos da aula, em solicitações do professor);
5.Expressar-se (brincadeiras, músicas e sentimentos);
6.Escrever (uso do lápis e caderno não de modo convencional, mas por imitação);
7.Escrever a partir de modelo;
8.Interagir com os alunos, funcionários e demais professores;
9.Leitura apoiada em figuras (Desenho e palavras, rótulos, fotos, objetos de uso pessoal);
10.Uso do alfabeto móvel e tamanho maior e bem colorido;
11.Fichas de figuras;
12.Participação de produção de texto oral;
13.Empréstimo de livro, revistas, gibis, folder panfletos;
14.Solicitar participação na organização da sala;
15.Enviar recados;


INTERVENÇÕES


1.Permitir que o aluno participe das situações de dialogo mesmo que fora de contexto, o professor pergunta, provoca e resgatando e retomando o assunto as vezes que sentir necessário;
2.Utilizar letras móveis grandes e coloridas e cartões como modelo (Crachás e cartões) questionando a interpretação do escrito ao aluno;
3.Ler em voz alta em todas as situações, mais de um a vez, fazendo perguntas para prender a atenção.
4.Agrupar o aluno com colegas que esteja dispostos a auxiliá-lo, porém propor situações que garantam o contato com todos por meio de brincadeiras e de movimentos;
5.Proporcionar o uso do lápis e do caderno gradualmente;
6.Solicitar a escrita do nome a partir de modelo;
7.Apresentar cartões idênticos com diferentes escritos ex: um cartão com a figura de um lápis  escrito lápis, a mesma figura escrita borracha e fazer as perguntas:
8.O que está escrito? Em seguida apresenta o segundo cartão e pergunta: que é isto? Depois questiona os nomes são iguais?
9.Mostrar livros (capa ou figura) e perguntar o que você pensa que vamos ler nesta historia? Depois mostra o texto e repete à pergunta a criança pode ou não relacionar o desenho ao texto, atividade favorece que a criança diferencia a escrita do desenho atribuindo sentido aos escritos,
10.Perguntar sempre sobre os escritos comparando.  esta palavra é igual a esta, utilizar o cartaz de nomes da classe;
11.Ensinar o virar de folha da direita para a esquerda, iniciar com revistas, possível que no manuseio rasguem, pois não controlam força.



Referências




_________,_________,_____,____Orientações curriculares e proposição de expectativas de aprendizagem para a Educação Infantil e Ensino Fundamental


 _________,_________,_____,____Linguagem Portuguesa para a pessoa surda



MASSINHA DE MODELAR

 A massinha de modelar  propicia uma experiência riquíssima para as crianças trata de  material maleável, que permite a exploração tátil para a estruturação de formas, sendo um excelente meio de estimular a criatividade.

A modelagem favorece o jogo simbólico, pois as crianças dão significados às formas que elaboram e as modificam à medida que trabalham com a massinha.  Dessa maneira, permite-se que os pequenos tenham um maior contato com os sentidos, principalmente o tato e a visão, liberem seus movimentos e desenvolvam a percepção e a psicomotricidade, fatores importantes na sua formação.

Ao trabalhar com a argila, vale bater, enrolar, furar, torcer, beliscar, amassar, puxar ou alisar com os dedos. Após a modelagem, cabe ainda o trabalho com as  diferentes as cores e suas misturas.

sábado, 21 de junho de 2014

ARTICULAÇÃO AEE E SALA REGULAR

 Utilizamos  Teatro Interativo para trabalhar com a turma que estranhou a atenção que  a professora da sala dá ao aluno Deficiente Intelectual. as queixas ocorreram também por parte dos pais. Gerando barreiras atitudinais  em nossos encontros pra discussões de estratégias de Inclusão a professora nos relatou.
 Pra minimizar o problema realizamos a adaptação do livro A descoberta da Joaninha do Autor: Cordeiro, Bellah Leite Editora: Que Paulinas. Numa apresentação de Teatro Interativo, com o objetivo de desenvolver  na turma sentimentos de amizade, bondade, solidariedade e simplicidade, como também Incentivar à leitura. Desenvolver a criatividade.
                               
 O enredo da história fala de uma Joaninha que após se enfeitar toda para ira a um casamento se viu sozinha sem pessoas para compatilhar, então resolveu doar o que tinha para ter os colegas juntos. 
O trabalho de convivência com as outras crianças é um trabalho que demanda disposição. Pois o  preconceito ou bullying por parte dos colegas implicam em sentimentos enraizados. Reverte este sentimento não é tarefa fácil,  acreditamos na Inclusão e na maioria são queridos pelos amigos, que se oferecem para ajudá-los em várias situações e se preocupam quando  este  falta à escola.  O trabalho realizado já tem revelado evolução.
Após o termino a professorar ira fazer perguntas às crianças buscando ver se de fato compreenderam as ações da joaninha: Explicar que com essas atitudes solidária e importante e não podemos ser  egoísta. Perguntar quem sabe o que significa essa palavra, “egoísta”. Após ouvir as respostas a professora explicará que egoísta é a pessoa que pensa só em si mesma e trata só dos seus interesses, sem se importar com os outros. Para finalizar os alunos  realizaram  registros  relação ao Teatro.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

LEITURA PARTE 2

Segundo o Livro de LERNER, DELIA. LER E ESCREVER NA ESCOLA: O REAL, O POSSÍVEL E O NECESSÁRIO. PORTO ALEGRE: ARTMED, 2002  Este  livro  traz  a  dimensão de  trabalhar  na  escola  as  práticas  de  leitura  e  escrita  como  objetos  de  ensino  isto  é  a alfabetização. Com o  intuito  de  formar  alunos  praticantes  cultura escrita.
Para tanto é necessário redimensionar o ensino das práticas de leitura e escrita como práticas sociais. É preciso planejar práticas sociais reais é necessário uma mudança no processo de democratização deste conhecimento.

FONTE:  LERNER, DELIA. LER E ESCREVER NA ESCOLA: O REAL, O POSSÍVEL E O NECESSÁRIO. PORTO ALEGRE: ARTMED, 2002  E PÚBLICAÇÕE DO PNAIC

 

ADAPTAÇÃO PARA ALUNO DEFICIENTE FÍSICO

Este recurso que chamamos de Prancha de Fixação foi desenvolvida para auxiliar na coordenação viso-motora,  na noção de parágrafo, espaço delimitado e na seqüenciação e principalmente para a organização do aluno que não possui a coordenação motora fina para trabalhar com lápis e papel.


Descrição: A Prancha de fixação foi confeccionado em papel cartão preto, coberto com contact transparente, para se tonar resistente, contém fita crepe que representam as linhas do caderno. O espaço entre as canaletas pode ser variar dependendo da necessidade de cada aluno ou da atividade.
A prancha é usada com o alfabeto móvel, fichas com números, folhas para colagem etc...

JOGO SIMBÓLICO E A CRIANÇA SÍNDROME DE DOWN

 No jogo simbólico a criança sofre modificações, a medida que vai progredindo em seu desenvolvimento rumo à intuição e à operação. Esta atividade deve ser planejada e intencional.
Para que a criança realize a  tendência imitativa, em busca  da coerência com a realidade.

Para a criança Síndrome de Donw, o raciocínio lógico ainda não é suficiente para que ela dê explicações coerentes a respeito de certas coisas. O poder de fantasiar ainda prepondera sobre o poder de explicar. Então, o jogo simbólico precisa ser tratado de modo a criança possa exercitar não só sua capacidade de pensar ou seja, representar simbolicamente suas ações.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

ATIVIDADE PSICOMOTORA PARTE 2

O aspecto psicomotor é um pré-requisito bastante importante para a concretização da alfabetização, pois abrange uma série de atividades corporais e motoras que possibilitam o conhecimento, o domínio e a dissociação dos movimentos corporais. Estes movimentos são essenciais para o desenvolvimento do ato gráfico, construção do ritmo e fluência na leitura. Por isso, essas atividades devem  inseridas de forma criativa e adaptadas a cada etapa da escolarização.

Sugestão de Circuito Psicomotor



 Coordenação motora ampla e proprioceptiva
 Organização espacial, dominância lateral e motilidade ocular


 Dominância bimanual, controle de força e coordenação viso-motora



SUGESTÃO DE ATIVIDADE PARA ALUNOS COM DUPLA DEFICIÊNCIA

 Atividade de coordenação motora e de propriocepção.


Manter a bola entre as mão ou tentar estoura-la: atividade de coordenação motora e de propriocepção.

Tentar pegar bolas devido de acordo com a cores: atividade bimanual e cognitiva.
 Esta atividades Integração o Sensorial.

ADAPTAÇÃO DE ATIVIDADE PARA DEFICIÊNCIA INTELECTUAL


Para este caça-palavras  a professora confeccionou apoio de consulta.
Neste caso a professora realizou também associação de cor.
As palavras serão marcadas pela professora uma a uma, com cores diferentes.
Limitar a palavra uma a uma ajuda na organização do pensamento e na coordenação viso-motora, como também na varredura visual da palavra.


quarta-feira, 18 de junho de 2014

AUTOESTIMA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Para a pessoa que nasce com a deficiência,a socialização ocorre conforme seu desenvolvimento,as amizades,relacionamentos são construídas com a inclusão da deficiência.

 Aproveitamos  A Copa do Mundo para este trabalho
Em um mundo que estipula o belo como “perfeito”,a deficiência pode se tornar uma marca de exclusão dos conceitos estéticos de beleza,e um dos primeiros impactos diante de uma deficiência é sobre a autoestima.
Depois de estarem bem e felizes , discutimos sobre a Copa do Mundo e construímos ideias.
Atividade com o Tema Copa do Mundo 2014.
Depois de estarem lindas e acertarem todas as escritas sobre a Copa do Mundo 2014 a estima foi lá em cima


segunda-feira, 16 de junho de 2014

SUGESTÃO DE ATIVIDADE PARA SÍNDROME DE DOWN


Trabalho com o nome: crachá com  pareamento das letras.
A atividade da folhinha foi adaptada, a aluna pareou as palavras apoiada na figura.
O alfabeto pode ser realizado com prancha de sobreposição.
O Alfabeto será transferido para o pote favorecendo o movimento de pinça e a pré-escrita.

Desenvolvimento da coordenação motora grossa e fina.

Fichas com foto legenda e ou pequenas frases para habilidades linguísticas e caderno de pauta ampliada como um facilitador para a organização espacial e ou possível problemas de visão.

Postagem em destaque

CURSO: ESTÍMULO NA SALA DE AULA

Curso de extensão universitária. 100 horas 3 x de 135 reais Tema: O estímulo na sala de aula Ligue: 11 999659448 FONTE:  http://ww...